Inos Corradin

Inos Corradin

Voltar

A0060

Nascimento
1929 - Vogogna (Itália) - 14 de novembro

Cronologia
Pintor, cenógrafo, gravador, desenhista

ca. 1932 - Castelbaldo (Itália) - Muda-se com a família, onde passa a infância e a juventude
1945 - Castelbaldo (Itália) - Estuda Pintura com o professor Tardivello
1947 - Castelbaldo, Padova (Itália) - Colabora como o pintor Pendin na execução de um mural referente aos mártires da resistência italiana
1950 - Vive em Jundiaí e São Paulo, SP
1951 - São Paulo SP - Faz parte do núcleo artístico Cooperativa em São Paulo, dirigido pelo pintor argentino Oswaldo Gil Navarro
1954 - São Paulo SP - Executa cenários para o Ballet do IV Centenário de São Paulo
1957 - Ibiúna SP - Começa uma nova fase de sua vida. Em Ibiúna, pinta e trabalha com madeireiros, conhecendo por alguns anos a vida no campo
1979 - Rovigo (Itália) - É contratado para pintar um cenário de 8 x 11 m para o Teatro de Rovigo

Críticas

'... A observação detida de um quadro de Inos Corradin nos obriga, de início, a encarar a estranheza da cor, o requinte da matéria sobre a qual entranha esta cor indefinida, suporte de todas as cores, sumo esmagado e cozido do espectro solar, palpitante e macio como um organismo vivo. Introduzidos pela cor, oscilamos entre o jogo picaresco da estilização e espaço metafísico onde as formas se distribuem como detalhes de um brinquedo fantástico. A figura humana assume a forma dos bonecos articulados, disfarçando no sal do humor o desacerto e a perplexidade do homem contemporâneo. O conteúdo lírico desta pintura avança na progressão direta da pesquisa construtiva da composição, no filtro geometrizado pelo qual as formas são medidas, transformando o visível numa espécie de equação luminosa. Assumindo, ainda, mais uma cenografia e um disfarce que refaz o timbre jocoso da Commedia Dell´Arte, Inos Corradin integra nesta dicção plástica o ex-voto, a paisagem e o homem brasileiro, nivelando todas as referências sob o prisma de uma linguagem muito pessoal. Coexiste nele, ainda, um desenhista de humor empenhado talvez numa tarefa especial de identificar o instante com um desanuviado otimismo. (...)'.
Walmir Ayala
LOUZADA, Júlio. Artes plásticas: seu mercado, seus leilões. São Paulo: J. Louzada, 1984-.