Thereza Miranda

Thereza Miranda

Voltar

A0110

Thereza Miranda Alves (Rio de Janeiro RJ 1928). Gravadora, pintora e desenhista. Estuda filosofia na Pontíficia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ) em 1947. Nesse mesmo ano, inicia sua aprendizagem em artes nas aulas de pintura do ateliê de Carlos Chambelland (1884-1950), no Rio de Janeiro. Sua incursão no campo da gravura começa quando, a partir de 1963, freqüenta o ateliê de gravura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ), onde aprende as técnicas da gravura em metal com Walter Marques. No final da década de 1960, sua obra começa a figurar nas principais bienais e exposições internacionais, tais como: Bienal Pan-americana de Gravura, no Chile- Bienal de Gravura em Cracóvia, Polônia- Bienal de Gravura de Branford, Inglaterra. Em 1974, com Bolsa da British Council, estuda fotogravura com Denis Mazi no Croydon College of Art de Londres. Desde de 1974, leciona gravura e ilustração na PUC/RJ. No MAM/RJ, no período de 1983 a 1986, leciona gravura. De 1990 a 1992, ministra aulas de fotogravura no Ateliê Livre em Porto Alegre. Paralelamente as atividades de gravadora, pintora e professora, Thereza Miranda assume o cargo de diretora do Centro de Artes Calouste Gulbenkian, no Rio de Janeiro, de 1993 a 2000.O ano de 1994 marca seu retorno a pintura expondo na Galeria Candido Mendes no Rio de Janeiro. O resgate e a valorização do patrimônio histórico e das paisagens são temas recorrentes em sua obra.

Nascimento
1928 - Rio de Janeiro RJ
Cronologia
Gravadora, pintora, desenhista

1947 - Rio de Janeiro RJ - Faz o curso de filosofia na PUC/RJ
1947 - Rio de Janeiro RJ - Frequenta aulas de pintura no ateliê de Carlos Chambelland
1963-1969 - Rio de Janeiro RJ - Estuda com Walter Marques no ateliê de gravura em metal do MAM/RJ, curso coordenado por Edith Behring
1974 - Londres (Inglaterra) - Estuda fotogravura com Denis Mazi no Croydon College of Art - Bolsa do British Council
1977 - Albuquerque (Estados Unidos) - Estuda litografia com Garo Antreasian na University of New Mexico
1978 - Nova York (Estados Unidos) - Estuda gravura em metal com Roberto Delamonica, na New School
1978 - Nova York (Estados Unidos) - Estuda fotogravura com Margot Lovejoy no Pratt Institute
1974-2003 - Rio de Janeiro RJ - Leciona gravura e ilustração na PUC/RJ
1983/1986 - Rio de Janeiro RJ - Leciona gravura no MAM/RJ
1990-1992 - Porto Alegre RS - Leciona fotogravura no Ateliê Livre
1993-2000 - Rio de Janeiro RJ - Diretora do Centro de Artes Calouste Gulbenkian - Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura
1996 - Rio de Janeiro RJ - Participa do júri do 1º Salão Sesc de Gravura, na Galeria Sesc Copacabana

Críticas
'Servindo-se da fotografia e da gravura, a artista revê uma paisagem onde se estabeleceu o diálogo entre a obra do homem e a da natureza, uma paisagem que está viva graças à mão que a trabalha e ao olho que a observa. É no espaço entre as duas técnicas unidas na fotogravura que se estabelece um discurso que acorda o nosso olho e a nossa mente, nos alerta sobre o perigo que correm essas arquiteturas, essas grades, essas pedras. Um discurso que nos fala dos restos de um passado que é necessário conservar, que tem de ser preservado, que estamos obrigados a salvar porque é nosso e é parte determinante de nosso ser. Thereza aprisiona um instante e os séculos na sua câmara fotográfica. Depois transporta essas fotografias para a chapa sobre a qual grava e regrava, marca incisões, corta, recorta, muda as imagens de lugar, coloca os acentos sobre o que quer assinalar. Selecionando e superpondo detalhes, combinando, desfazendo e refazendo imagens, desenhando lembranças vê, e nos faz ver com a nova luz, nossos espaços e nossa história. Cria uma iconografia própria, soma de construções históricas, paisagens paradisíacas e experiências afetivas, onde, como afirma Carlos Drummond de Andrade, '...as casas/meditam no tempo e no espaço./ ...as ruas/ são roteiros de solitude./ Nelas vão ocultar-se, nuas,/ memórias que o progresso elude' '.
Irma Arestizábal
MIRANDA, Thereza. Paisagens. Curadoria Irma Arestizábal. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1998, p. 10.